quarta-feira, 24 de março de 2010

Signos pictóricos nos barcos - III


Outro exemplo expressivo, captado também nos anos 60, é a proa da barca da arte xávega de Monte Gordo. No beque, uma cabeça de cobra. Local para a cabeleira, ocasionalmente retirada. Olhos bem delineados, postados na proa, sem delimitação da cara.

Proa da barcaMonte Gordo – Anos 60

Estaleiro de Quarteira – 2007


Um dos últimos clichés foi em estaleiro de Quarteira (2007), à proa de um elegante bote, o CATRAIA. Pena é que já não estivesse ao serviço das pescarias e se destinasse a adorno de um jardim, onde, por certo, já não estará.
É assim que se vão apagando do nosso litoral, signos pictóricos, puros e coloridos, fruto do peso da tradição imagética das embarcações e das convicções “ ingénuas” do mestre ou proprietário.

Fotografias – Ana Maria Lopes

Ílhavo, 24 de Março de 2010

Ana Maria Lopes

1 comentário:

Unknown disse...

Os nossos barcos vão desaparecendo
deixando apenas os sinais e as marcas que os seus admiradores vão perpetuando através das imagens, dos livros e dos modelos. É à sensibilidade destas pessoas e ao seu amor pela matéria que devemos o prazer de reviver o passado que também nos marcou.
Parabéns e obrigado.

João Marçal