domingo, 14 de outubro de 2012

Bota-abaixo da Nau S. Vicente

-
No post de 4 de Julho passado, «O Gazela em reconstrução, na Gafanha», referimos a monumental construção que ocupava a carreira do estaleiro do Mestre Manuel Maria Mónica, na grandiosidade dos seus vários andares – A Nau S. Vicente.
 
Os projectos das duas naus construídas na Gafanha da Nazaré não tiveram grande sorte; conquanto que a primeira, a Nau Portugal, construída para fazer parte da Exposição do Mundo Português, em 1940, foi muito fotografada e até filmada, há muito pouca documentação fotográfica e até escrita sobre a nau S. Vicente.
 
Recolhamos alguma – Este navio foi idealizado talvez um pouco com «pés de barro», já que a verba para ele atribuída não foi suficiente para uma construção contínua, tendo sido suspensa e recomeçada, chegando a permanecer cinco anos na carreira.

 
Nau na carreira -1959
 
-
Em Agosto de 1955, o Ministério da Marinha autorizou o Mestre Manuel Maria Mónica a construir a nau e a 20 de Abril de 1956 levantou-se a roda de proa, na carreira nº 3 dos Estaleiros Mónica, que, depois do bota-abaixo do n/m São Jorge, tinha sido reforçada para esse efeito.
 
Em Junho, a quilha e a caverna mestra tiveram honras de bênção pelo Sr. Bispo de Aveiro, D. João Evangelista de Lima Vidal.
Após algum optimismo, reinaram as preocupações e o estado da conservação da nau era também colocado em causa, devido aos efeitos dos invernos rigorosos.
O próprio Mestre Manuel Maria chegou a interferir junto Almirante Américo Tomás.
 
Com a morte inesperada do Mestre Mónica (a 16 de Julho de 1959), a obra permanecia emperrada e só por despacho do Ministro da Economia, em Dezembro do mesmo ano, foi viabilizada a continuidade do trabalho, já ultimado pelo filho de Manuel Maria, Arménio Mónica, mais conhecido por Necas Mónica.

 

Esqueleto parcial da nau
 
-
Segundo notícia do jornal O Ilhavense (1. 12.1960), a 20 de Novembro de 1960, apesar do mau tempo, rumou uma multidão à Gafanha da Nazaré, para assistir ao bota-abaixo da Nau S. Vicente.
Depois da costumada bênção da unidade pelo Sr. Bispo de Aveiro, a madrinha, filha do Ministro da Marinha quebrou a tradicional garrafa de champanhe contra o casco do navio, ao som do silvo das sirenes e dos acostumados aplausos. Para alguns, a tragédia ocorrida há cerca de 20 anos, com a Nau Portugal (1940), ainda pairava nas suas memórias e a expectativa era grande.

 
Nau S. Vicente, de partida… (1964)

 
Na sua pujança (comprimento, 65 metros, boca no bojo, 13,80 m, pontal ao convés, 7,70 m, deslocação de 3000 toneladas, motor de 840 CV e três grandes mastros), chegou a ser considerado o maior navio de madeira, até então construído em estaleiros navais, que honraria todos os que se empenharam no projecto e construção da obra.
«Sonhos dourados» para os destinos da embarcação – missão de propaganda de Portugal e dos seus produtos, começando por terras do Brasil – que ficaram em «águas de bacalhau».
 
Temos conhecimento de que, em frente aos Estaleiros Mónica, o «futuro veículo de propaganda comercial», permanecera durante quase cinco anos; só em 1964 foi levada a reboque para Lisboa.
 
Com docagem marcada para os Estaleiros da Lisnave, não passou disso mesmo, da marcação.
Com sorte idêntica à sua antecessora, a nau S. Vicente, ancorada no Mar da Palha, acabou ingloriamente no seu ancoradouro. Em 1965, dez anos após o início do seu processo de construção, a Nau S. Vicente já havia sido esquecida.

 
Para quem, porventura, queira saber mais, aconselhamos a consulta de uma monografia existente na biblioteca da FLUC, A construção da nau S. Vicente nos estaleiros Mónica (1955-1960), da autoria de António Vítor Nunes de Carvalho, 1999.
 
Fotos do arquivo da autora do blogue

Ílhavo, 14 de Outubro de 2012

Ana Maria Lopes
-

3 comentários:

Anónimo disse...

Tenho uma foto parcial da proa da Nau S.Vicente na altura do botaabaixo da traineira do meu avô em 1962/3 é talvez o ultimo barco em actividade construido nesse estaleiros dos Monicas, para enviar precisava que me faculta-se o seu mail.

Ana Maria Lopes disse...

Obrigada pelo seu comentário.
Para fazer o favor de me enviar a foto que tem, o que agradeço, aqui tem o meu e-mail:

lopesam1@hotmail.com

Olímpio Carvalho disse...

Boa tarde,
Se não lhe der incomodo gostaria de ter uma cópia da foto a que faz referência.
Desde já os meus agradecimento.
Olímpio Carvalho
Osampaiocarvalho@gmail.com