domingo, 26 de abril de 2009

Navio / Motor Inácio Cunha - II



A viagem inaugural do Inácio Cunha foi feita pelo Capitão José Gonçalves Vilão, bem como a campanha seguinte (1946). Por lá passaram, no seu comando, nos anos de 1947 a 49, Elias Andrade Bilhau, natural de Lavos, Figueira da Foz; João dos Santos Labrincha (Laruncho), de 1950 a 1955; Manuel da Silva de 1956 a 60. Entre 1961 e 1962, comandou-o David Calão Marques.
Na campanha de 1951, trouxe os náufragos do Rio Lima e/ou Paços de Brandão, que haviam naufragado, nesse ano.

Entrada em Leixões com náufragos. 14.9.1951


Parece-me ter tido uma existência pacífica, com as atribulações e perigos, inerentes àquela dura faina.

São da campanha de 1961, as fotografias que tenho o prazer de partilhar, que me foram gentilmente cedidas pelo amigo, João David, filho do Capitão David Calão Marques.

O Capitão David Marques, na asa da ponte de bombordo – 1961

O navio enfrenta um campo de growlers. Pela proa, a popa do n/ m Lutador


No ano de 1962, O Capitão David Marques declarou à empresa 11 162 quintais de bacalhau, de acordo com o seu diário de pesca, pelo que o navio abandonou a pesca e chegou a Aveiro sobrecarregado, pondo em perigo o navio, a sua carga, seus pertences e vidas humanas ( vide o 3º cliché do post anterior - 1962).
O que se fazia por mais uns quilitos de bacalhau, para ganhar a vida!!!!

Também Ernesto Manuel dos Santos Pinhal comandou o navio de 1963 a 1966, ano em que naufragou, a 28 de Agosto, por motivo de incêndio a bordo, quando estava prestes a completar o carregamento, nos mares da Gronelândia.

A tripulação foi acolhida a bordo do navio-motor Soto Maior, que a encaminhou para o navio-hospital Gil Eannes, a fim de ser repatriada.
Todos os Capitães, de quem me lembro e com quem convivi, foram nossos conterrâneos, com excepção de Elias A. Bilhau.


Nas tranquilas águas da Ria, na Gafanha da Nazaré, podem apreciar-se, em primeiro plano, o Inácio Cunha e, pela popa, o São Jorge, de braço dado com o Novos Mares; avista-se, em último plano, o Avé-Maria.

Imagens – Arquivo pessoal da autora, da Fotomar, da Foto Resende e de João David Marques

Ílhavo, 26 de Abril de 2009

Ana Maria Lopes

3 comentários:

fangueiro.antonio disse...

Bom dia.

Belíssima trilogia fez ao "Inácio Cunha". Pouco a pouco a colecção de navios apresentados no seu blogue vai crescendo e fotos nunca vistas são-nos presenteadas.

Parabéns e continue sempre que puder.

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

Unknown disse...

Viva!!!

É com muito gosto que visito o seu blogue onde vejo os navios da minha infância que apreciava da marginal na companhia do meu pai que me levava pela mão e me falava de navios como se fala de pessoas.
Não me esqueço também da alegria que senti quando no filme sobre a entrada do "Novos Mares" em 1964, postado no blogue em 1 de Nov de 2008, tive a oportunidade de vêr um navio antigo a entrar para carregar madeira onde cheguei a trabalhar como estivador nas férias de Verão. Trata-se do "Valira", um barco espanhol construido em 1908 que teve 6 nomes diferentes (o mesmo por duas vezes) acabando como "Valira" em 1967. Para mim foi uma feliz coincidência voltar a vêr aquela hélice enorme em ferro fundido, metade fora de água, mostrando sinis da idade que tinha através do desgaste dos seus bordos bastante "ratados". O "Valira" e a sua história aparece num álbum de barcos antigos, fazendo a pesquisa no Google.
Desculpe ter-me afastado do tema, mas nunca pensei voltar a vêr tal barco. Já só os "apanhados" como eu se lembram dele.
Obrigado pela oportunidede e

Cumprimentos

João Marçal

Ana Maria Lopes disse...

Obrigada pela visita e pelos dados do Valira, que ainda ninguém tinha identificado.
Cumprimentos.