segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Argus entrou a barra de Aveiro

-
-
A história do lugre Argus, enquanto navio bacalheiro (1939 – 1970), é sobejamente conhecida, e está bem narrada, quer em Portugal, quer no estrangeiro. Muito se deve a Alan Villiers e à sua viagem famosa no navio em questão, em 1950, de que resultaram A Campanha do Argus, o documentário com o mesmo tema, o artigo I sailed whith Portugal’s Captains Courageous, publicado no nº 5 da National Geographic Magazine, em 1952, bem como as belíssimas imagens conseguidas, que têm corrido mundo.

Foi a 1ª fase do Argus.

A Campanha do Argus – 1950


A segunda, embora menos conhecida, também já ocupou alguns pesquisadores, sabendo-se, então, em estudo publicado por António Manuel Gonçalves, na Revista da Armada de Março de 2005, que o Argus foi então vendido, em 1975, pela Parceria Geral de Pescarias, à empresa canadiana White Fleet Cruise Ships, por 7 000 contos. No entanto, esta empresa acabou por vendê-lo, no mesmo ano, ao Comandante Mike Burke, para companhia com sede em Miami, nos Estados Unidos, que procurava navios históricos, para fins turísticos.
Ao passar a ser utilizado para tal fim, esteve sujeito a várias e exigentes transformações.

Acima do convés, recebeu um novo pavimento. À ré deste novo espaço, ficava o local onde eram servidas as refeições, com vigias panorâmicas, que asseguravam aos passageiros, uma vista deslumbrante.
Dispunha, então, de 52 camarotes duplos e 3 camarotes de seis pessoas, todos eles com casa de banho. Relativamente ao aparelho, recebeu novos mastros e velas, e armava, enquanto navegava, em escuna americana.

Foi a 2ª fase do ex-Argus, Polynésia II.

Polynésia II, enquanto navegava…

Entrada, a reboque do Sella


É este o navio que entrou a barra de Aveiro, às 10h e 27 minutos, entre molhes, enferrujado, um pouco danificado e desmazelado, depois de uns tempos de paragem e da compra em leilão, em Aruba, pela Empresa Pascoal & Filhos, S. A., com sede na Gafanha da Nazaré.

Enfrentou longa viagem, pelo Atlântico, desde 13 de Fevereiro até hoje, a reboque do Sella.

A 3ª fase já começou… à espera de voltar a ser o Argus…

A acostar na Gafanha, frente à Pascoal

Vai ser, esperamos, uma caixinha de boas surpresas para os amantes do mar e de navios.

Felicidades para a Pascoal! Saudações marítimas para o velho/novo Argus.

Ler mais no D.A., edição de 7.4.2009 (notícia Ílhavo: Recuperação do “Argus” vai ter que esperar).

Fotografias – Arquivo pessoal da autora e de Reimar

Ílhavo, 6 de Abril de 2009

Ana Maria Lopes

10 comentários:

João Reinaldo disse...

Foi dito e feito! Mais oportuno não podia ser!!!
Curto, certo, fino e firme (como o tracejado da Dra. Maria Vieira), aqui está um grande pequeno artigo que diz tudo acerca do "ARGUS" .
Parabéns à autora e felicidades para o navio que desejamos voltar a ver branco e asseado.
JR

fangueiro.antonio disse...

Boa noite.

Pois chegou a salvamento. O nosso novo/velho navio à vela, campeão de pesca, chegou a salvamento! Como escreve no seu artigo, que se comecem agora a desvendar as surpresas que iremos ter com o seu futuro. Primeiro que tudo, doca seca e uma boa esfregadela!

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

jc disse...

Lamento que nenhum órgão de comunicação social,(tv`s), tenha dado hoje a notícia.Até parece que é um acontecimento vulgaríssimo!
Se o Ronaldo estivesse de diarreia,... todos os noticiários abriam com essa notícia.Pobre país este!

fangueiro.antonio disse...

Bom dia.

Devemos acreditar que a população e entidades como a Pascoal é quem deve fazer um país e não as decisões/falhas do Governo. Provavelmente um dos males da democracia é a "sonolência" e cabe à população andar acordada e mexer-se.
Quanto aos media, se não for nas vertentes regionais, realmente só preferem sensacionalismos, mas de novo acho que nos cabe a nós dar a lição. Além do mais, plataformas como esta dos blogues permitem-nos hoje ser parte dos media também. Usemos esse "pequeno poder" em prol daquilo que gostamos, neste caso, o Mar.

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Que bom ver o ARGUS novamente em Portugal. Ainda me lembro deste navio na doca-seca nº 2 do estaleiro da AGPL (ROCHA) para limpeza e pintura do casco, nos tempos das campanhas do bacalhau para a Parceria Geral de Pescarias...

Sailor Girl disse...

Obrigada por registar este importantíssimo marco na História (Trágico) Marítima Portuguesa.

Tive muita pena de não ter podido ir. Quando soube que vinha aí (através do Ships & The Sea), já não fui a tempo de pedir o dia de férias :-(

Mas brevemente espero poder ir visitá-lo!!

Beijinho!!

JOSÉ MODESTO disse...

Viva o ARGUS.
Os nossos agradecimentos á firma: Pascoal.
Parabéns a si que divulga a nossa ARTE.

Saudações Marítimas
José Modesto

J.pião disse...

Um bem-haja Dra Ana Maria pela sua prontidão em assinalar os factos .Ainda bém que temos este meio de comunicação ao alcanse ,para os contactos ,porque pelo Estado Português nada se sabia e muito menos estes casos que a nós Portugueses muito nos diz ,mas como dis o povo dos fracos não resa a história.Pescadores de Portugal temos o Argus entre nós e cantemos ém coro ALELUIA marinheiramente falando claro ,o- ARGUS RESSUSCITOU-ém nome das Caxinas muito obrigado ...J.PIÃO.

Laurus nobilis disse...

Esperemos que não demore a voltar a ser o velho/novo Argus!

Anónimo disse...

Wonderful blog, sweetie! Keep it up! By the way, I suggest you should make your blog a bit more social.


Alice Clark
dominos coupon codes